For a better experience please change your browser to CHROME, FIREFOX, OPERA or Internet Explorer.
John Petrucci – Timbres e Influências

John Petrucci – Timbres e Influências

John Petrucci - Dream Theater

John Petrucci, guitarrista do Dream Theater, é uma influência para gerações de guitarristas devido à sua musicalidade, técnica e seus timbres. Guitarristas mundo à fora passam horas dentro de seus quartos ou estúdios tentando tirar suas músicas, solos, e reproduzir com o máximo de fidelidade possível seus timbres de guitarra. Nesse artigo vamos te ajudar a ter uma ideia melhor de como tudo isso funciona.

Timbres John Petrucci

Petrucci usa muitos efeitos combinados entre si. Delay, reverb, chorus e wah-wah são os mais comuns, além da distorção. Os efeitos são compilados em um rack com saídas para suas caixas Mesa Boogie. Esta forma de organização dos efeitos é muito comum entre os guitarristas dos anos 90, originando uma sonoridade diferente, por exemplo, das distorções mais “cruas”dos “velhos Marshalls e Fenders”.

Vamos analisar 3 dos timbres mais utilizados por Petrucci. O primeiro é uma distorção comum, porém com mais destaque para frequências médias, que é mais usado nos solos. Petrucci usa chorus em muitos solos e às vezes também delay junto à distorção, mas nas bases o que prevalece é apenas a distorção. O wah-wah aparece em solos e bases, mas com algumas peculiaridades, onde ele geralmente usa de forma diferente: ao invés de abrir e fechar o wah-wah, ele é simplesmente acionado e acaba ficando na parte mais grave do efeito; em poucas frases ele é aberto. No caso de Pull me Under, ele é acerto com sutileza nos finais de frase, ficando mais perceptível na última nota do solo. Você deve achar o ponto certo em seu efeito de wah-wah, pois a regulagem e abertura para o grave e para o agudo variam de pedal para pedal. É importante lembrar que o timbre de Petrucci também é resultado de sua guitarra, munida com 2 captadores duplos, (humbuckers).

O terceiro timbre é o som limpo de Petrucci. Este quase sempre é combinado junto ao chorus e esporadicamente a um delay. Na maioria das vezes, o delay está regulado no tempo da música.

Influências – John Petrucci

Petrucci faz uma linha virtuosística, não como um guitarrista solo em uma banda, mas sim como parte de igual importância em um todo. Sua característica mas evidente é a palhetada rápida e precisa, muitas vezes dobrada com outros instrumentos. Usa também escalas cromáticas e outras não tão comuns com dissonâncias.

Petrucci comenta que a escola Berklee fez muita diferença em seu aprendizado, aprimorando encadeamentos de acordes, improvisos, etc.

Steve Morse foi uma grande influência, não só como músico possuidor de uma técnica incomparável, mas também como um expert em equipamentos – é o caso dos efeitos Lexicon, que Morse utilizava e que Petrucci usa até hoje. Steve Howe, do Yes, também é uma grande referência na linha do rock progressivo. Outros guitarristas também fizeram a cabeça de Petrucci, como Alan Holdsworth, Alex Lifeson e Steve Ray Vaughan, de quem Petrucci é admirador confesso.

leave your comment


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top